A Guiness torna-se vegan depois de 256 anos sem alterar a receita

A partir de 2016 a Guiness deixará de utilizar ictiocola, um subproduto da indústria pesqueira que não é mais do que uma gelatina feita de bexiga de peixes, utilizada para remover o excesso de fermento e ajudar a tornar o processo de estabilização mais célere.

Guiness
Foto: Getty Images

Há muito que a população vegan e vegetariana pede à Guiness e outras cervejeiras para alterar o processo produtivo além de sucessivas queixas por não haver referência ao uso de ictiocola no rótulo. Em entrevista ao The Times, um porta-voz da empresa afirma: “Estamos conscientes de que a utilização de ictiocola pode representar uma barreira ao consumo de nossos produtos por algumas pessoas.” A empresa procura agora alternativas.

São já várias as marcas que fabricam produtos que excluem materiais de origem animal ou testes com animais, esforçando-se  assim por alcançar um público, mais vasto que os vegan ou vegetarianos, cujas opções de compra se baseiam na preferência por produtos que não de origem animal por razoes éticas. A tendência vai além da alimentação e bebidas: inclui cosméticos e vestuário.


About the author
Guiness
Isabel Oliva-Teles
Consultoria Estratégica
ilimitados – the marketing company

Anúncios